Dom. Nov 17th, 2019

Brexit em suspenso após travão no Parlamento. Prolongamento pode ir até um ano

O Brexit continua a ser dominado pela incerteza. Theresa May queria evitar um prolongamento da saída, mas deverá ser obrigada a pedi-lo à União Europeia após um novo voto ao acordo ter sido bloqueado pelo porta-voz do Parlamento.

A incerteza continua a dominar o processo do Brexit. A recusa do porta-voz do Parlamento britânico em agendar mais um voto ao acordo de saída deverá levar o Governo a pedir à União Europeia um prolongamento longo da saída oficial, de acordo com a Bloomberg. No entanto, o Governo ainda não perdeu a esperança de ter uma terceira votação, acreditando que a opinião dos “brexiteers” mudou. 

A primeira-ministra britânica tinha intenções de voltar a levar votos o seu acordo na Câmara dos Comuns esta semana. “Sempre dissemos que em termos de voltar a submeter a votação pela terceira vez precisaríamos de ver uma mudança no apoio dos deputados. Eu acho que estamos nessa situação”, argumentou Steve Barclay, ministro do Brexit, citado pela Reuters. 

Contudo, ontem o porta-voz do Parlamento John Bercow impediu-a, alegando que o conteúdo do documento já foi votado por duas vezes com chumbos expressivos. “Esta é a minha conclusão: se o Governo deseja apresentar uma nova proposta que não é nem a mesma, nem substancialmente o mesmo que foi apresentado a 12 de março, estaria de acordo com as regras”, afirmou. 

Segundo a Bloomberg, o Executivo britânico ficou melindrado com a posição de Bercow. Neste momento a equipa da primeira-ministra está a analisar a convenção (que data de 1604) do Parlamento que permite esta posição do porta-voz. Essa convenção dita que a mesma moção não pode ser repetidamente submetida a votos. 

Em última instância, com o prazo tão perto, a solução para Theresa May deverá passar por cumprir o que foi aprovado na semana passada pelos deputados britânicos: o prolongamento do Brexit, marcado para daqui a 10 dias (29 de março). A primeira-ministra britânica estará esta quinta-feira no Conselho Europeu e deverá pedir aos seus pares um prolongamento longo.

O jornal britânico The Sun avançou, citando fontes anónimas do Governo, que o Reino Unido vai pedir um prolongamento de nove a 12 meses. A moção aprovada na semana passada previa que, se não fosse aprovado o acordo de saída, o Governo teria de requerer uma extensão mais prolongada.

Do lado europeu, os ministros dizem que é preciso que o Reino Unido tenha uma razão clara para autorizar o prolongamento do Brexit. Um dos pontos sensíveis do prolongamento é a realização das eleições europeias em maio deste ano. A opinião em Bruxelas é que prolongar a saída oficial para lá desse mês obrigaria o Reino Unido a participar nas eleições. Fora de questão está, para já, a renegociação do acordo de saída já firmado com Londres.

Fonte: Jornal Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categorias